Projeto Sons de Marnay - Blog da Residência Artística

Publicações mórbidas

Sim, como a foto desta postagem indica, esta é uma publicação sobre túmulos, então se você não é muito fã desse assunto talvez seja melhor seguir para as próximas postagens! Em todo caso, para que essa postagem seja um pouco menos macabra irei acrescentar algumas informações histórias e vídeos sobre algumas personalidades importantes (sobretudo artistas) que encontrei no Cemitério de Montmartre.


Hector Berlioz (1803-1869)


Berlioz foi um importante compositor francês e mundialmente conhecido por sua maior obra, a Sinfonia Fantástica. Essa obra é considerada o primeiro Poema Sinfônico de que se tem notícia. Foi composta em 1830, portanto foi escrita na sua juventude. A obra é considerada um marco na música francesa, pois inaugura o sinfonismo na França.


François Truffaut (1932- 1984)


Truffaut foi um dos fundadores do movimento cinematográfico conhecido como “Nouvelle Vague” e um dos maiores ícones da história do cinema do século XX. Em quase 25 anos de carreira como diretor, Truffaut dirigiu 26 filmes, conseguindo conciliar um grande sucesso de público e de crítica na maior parte deles. “Jules et Jim” talvez seja seus filme mais famoso.


Junto com Jean-Luc Godard, Truffaut foi uma das mais influentes figuras do novo cinema francês e inspirou cineastas como Steven Spielberg, Quentin Tarantino, Brian De Palma e Martin Scorsese. Com certeza está entre meus diretores favoritos!



Adolphe Sax (1814-1894)


Embora muitas pessoas não saibam (com exceção é claro dos saxofonistas), o nome “saxofone” foi dado ao instrumento devido ao nome do seu inventor, Adolphe Sax, um construtor de instrumentos belga. Após inventar o saxofone, em 1840, Sax mudou-se para Paris, onde continuou a trabalhar na construção e invenção de instrumentos. O saxofone é sua invenção mais famosa, ele foi rapidamente incorporado pelas bandas militares. Inclusive, o compositor Hector Berlioz escreveu aprovando o novo instrumento em 1842, mas Sax apenas patenteou o instrumento em 1846, depois de desenhar e construir toda a família de saxofones (do sopranino ao contrabaixo).








Vaslav Nijinski (1889-1950)



Considerado um dos maiores bailarinos de seu tempo, viveu a dança desde muito cedo, pois era filho de bailarinos poloneses, que se apresentavam em teatros e circos. Nijinski revolucionou o balé no início do século XX, conciliando sua técnica com um poder de sedução da platéia, os seus saltos pareciam desafiar a lei da gravidade. Como coreógrafo, Nijinski era considerado ousado e original, sendo atribuído a ele o início da dança moderna. Uma de suas coreografias mais polêmicas foi L'Aprés-Midi d'un Faune, com música de Debussy, vaiada em sua estréia, em 1912. Outras muito conhecidas foram “A Sagração da Primavera” (música de Stravinsky) e Till Eulenspiegel (música de Richard Strauss).



Fernando Sor (1778-1839)


Foi um compositor e violonista espanhol. Foi o primeiro grande compositor a se dedicar, de forma especial, ao violão clássico, tal qual conhecemos hoje. Começou seus estudos, de forma séria, ao doze anos de idade, no Mosteiro de Montserrat, e logo se destacou entre seus colegas. Permaneceu no mosteiro até completar quinze anos. Sem contar as transcrições, deixou mais de 250 obras. O seu trabalho mais conhecido, as "Variações sobre um tema da Flauta Mágica de Mozart", talvez seja a obra mais executada do compositor; até hoje é obra obrigatória para os estudos de quem quer se tornar violonista.
















Jacques Offenbach (1819-1880)


Considerado pela crítica como o "Liszt do violoncelo", ele não só dedicou-se a compor várias obras para esse instrumento como participou de uma série de concertos nas principais capitais européias.


Em 1858, Paris passava por um moderno processo de urbanização, caracterizado pela abertura de novas e amplas avenidas, chamadas boulevards. Os espetáculos teatrais começaram a explorar humoristicamente o espírito, a inteligência e o divertimento característicos da vida parisiense. Foi nesta época que estreou a primeira opereta de Offenbach, “Orfeu no Inferno”, através da qual um de seus temas musicais, o “Can-Can”, adquiriu notoriedade internacional.










Arquivo:
Palavras-chave: